Isenção do IMI nos Centros Históricos
29 de Julho, 2016

A isenção do IMI nos Centros Históricos classificados pela UNESCO como Património Mundial da Humanidade voltou à discussão na reunião de executivo vimaranense desta quinta-feira.

Em causa, a isenção do conjunto edificado dos Centros Históricos classificados ou a individualização por cada prédio, questões que tem levado a sucessivos avanços e recuos por parte do Governo.

Na ocasião, o vereador do PSD, André Coelho Lima, apontou que o processo tem solução e que, como já havia defendido em propostas anteriores, a medida já deveria ter sido tomada em Guimarães, pela autarquia, através da classificação individual dos edifícios do Centro Histórico.

Por sua vez, o vereador da CDU, Torcato Ribeiro, apontou que este processo se reveste de instabilidade para os proprietários e que a palavra deve ser dada aos municípios.

Na reacção, o autarca vimaranense referiu que não há alteração na isenção do IMI nos Centros Históricos, mas que a legislação tem de ser alterada. Domingos Bragança revelou que tem agendada para breve uma reunião com os municípios do Porto e Évora para darem a conhecer ao Ministro das Finanças a sua interpretação.

Informação em destaque
Obras no Centro de Saúde da Amorosa
06 de Julho, 2020
Unidade de cuidados de saúde primários na antiga estação da CP
06 de Julho, 2020
Executivo vimaranense reúne esta segunda-feira
06 de Julho, 2020
Projeto Bairro C apresentado esta segunda-feira
06 de Julho, 2020
CDU reúne com vereadora da educação
06 de Julho, 2020
UM e UA apostam na formação e capacitação de docentes
06 de Julho, 2020
Publicidade